Obras e serviços de engenharia sustentáveis - Indicações

Estimados leitores,

O tema obras e serviços de engenharia sustentáveis sempre foi algo que defendemos aqui como fundamental para o sucessos de iniciativas sustentáveis. 

Desta forma, para que você possa conhecer um pouco mais sobre como a licitação de obras e serviços de engenharia podem adotar os princípios de sustentabilidade, contribuindo para a melhoria das condições socioambientais, desde a escala local até a global, torna-se necessário ter acesso a um amplo leque de publicações no Brasil e no mundo.

Pensando nisto, divulgamos aqui inúmeros livros e sites de referência:

Leitura Recomendada:

RICARDO, Carlos Alberto; CAMPANILI, Maura (Coord.). Almanaque Brasil socioambiental: uma nova perspectiva para entender o país e melhorar nossa qualidade de vida. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2004.


VILELA JÚNIOR, Alcir; DEMAJOROVIC, Jacques. Modelos e ferramentas de gestão ambiental: desafios e perspectivas para as organizações. São Paulo: Senac, 2006.

Sítios de Interesse:

Sítios Nacionais (em língua portuguesa):

a) http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/a3p
No sítio do Ministério do Meio Ambiente, veja os itens de consumo sustentável e, especialmente, a Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), que contém acessos para diversas práticas de sustentabilidade nas ações da administração pública, incluindo licitações sustentáveis. A A3P é uma ação voluntária, proposta pelo Ministério do Meio Ambiente em 1999, e demonstra que o governo federal possui um papel estratégico na revisão dos padrões de produção e consumo e na adoção de novos referenciais em busca da sustentabilidade socioambiental, incentivando a adoção de tecnologias mais eficientes, que poupem mais matéria-prima e reciclem seus resíduos. A inserção de critérios ambientais vai desde a revisão dos investimentos, compras e contratação de serviços pelo governo até a gestão adequada de todos os resíduos gerados por suas atividades, passando pela melhoria da qualidade de vida no ambiente de trabalho.


b) http://raa.fgv.br/sites/raa.fgv.br/files/arquivos/madeira_-_uso_sustetavel_na_construcao_civil.pdf 
O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) do Município de São Paulo e o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon) lançaram um manual sobre os vários tipos de madeira existentes no Brasil para orientar a construção civil e os revendedores do produto a poupar espécies em risco de extinção. O guiaMadeira: uso sustentável na construção civil mostra opções que podem ser utilizadas sem agredir o meio ambiente ou destruir espécies raras, apresentando rendimento similar nas várias etapas da edificação.

c) http://www.sindusconsp.com.br
No sítio do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon), no item Meio ambiente, podem ser consultados diversos manuais, informações institucionais e legais e referências técnicas para a concepção, realização e gestão de construções sustentáveis.

d) http://www.idhea.com.br/construcao_sustentavel.asp
O sítio do Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica (Idhea) tem o objetivo de divulgar um centro de referência para ecoprodutos associados à habitação. Traz importantes referências bibliográficas, artigos e conceitos relativos à construção sustentável.

e) www.habitare.org.br
O Programa de Tecnologia de Habitação (Habitare) busca contribuir para o avanço do conhecimento no campo da tecnologia do ambiente construído, apoiando pesquisas científicas, tecnológicas e de inovação, visando a atender as necessidades de modernização do setor de habitação e a contribuir para o atendimento das necessidades habitacionais do país. Dessa perspectiva, produz e divulga pesquisas e publicações que contribuem para o aumento da dinâmica de inovação, do ponto de vista econômico, social e ambiental, e para o desenvolvimento ou o aperfeiçoamento de produtos e processos com significativa agregação de valor, que apresentem potencial econômico e social relevantes para o desenvolvimento de alternativas de menor custo, melhor qualidade e maior produtividade nos processos de produção e recuperação da habitação de interesse social. As notícias e publicações associadas ao programa estão disponíveis no sítio, com destaque para as publicações da Coletânea Habitare, como subsídio à obtenção de referências para processos de licitações sustentáveis de obras e serviços de engenharia.

f) www.antac.org.br
A Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído (Antac) tem como objetivos principais: contribuir para o desenvolvimento da tecnologia do ambiente construído no país; promover a integração, o intercâmbio e a difusão de conhecimentos entre as várias instituições vinculadas à produção de pesquisa, ao fomento e à utilização de tecnologias; promover a divulgação do conhecimento da tecnologia do ambiente construído através de publicações, eventos e outros meios; e propugnar pela permanente melhoria das condições de pesquisa e pela valorização da pesquisa, especialmente na área de tecnologia do ambiente construído. O sítio dessa associação traz informações sobre publicações e eventos relacionados à construção sustentável, com transcrição de exposições, divulgação de seminários, congressos e premiações, e ligações para outros portais com temas vinculados às obras e serviços de engenharia sustentáveis.

g) http://www.bmfbovespa.com.br/novo-valor/pt-br/iniciativas/iniciativas-indices.asp#
Dentro da tendência mundial na qual os investidores procuram empresas socialmente responsáveis, sustentáveis e rentáveis para aplicação de seus recursos (“investimentos socialmente responsáveis” – SRI), a Bovespa, em conjunto com várias instituições – Abrapp, Anbid, Apimec, IBGC, IFC, Instituto Ethos e Ministério do Meio Ambiente –, decidiu unir esforços para criar um índice de ações que seja referencial para os investimentos socialmente responsáveis: o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). A Bolsa é responsável pelo cálculo e pela gestão técnica do índice, que tem por objetivo refletir o retorno de uma carteira composta por ações de empresas com reconhecido comprometimento com a responsabilidade social e a sustentabilidade empresarial, considerando nessa categoria aquelas empresas que geram valor para o acionista no longo prazo, pois estão mais preparadas para enfrentar riscos econômicos, sociais e ambientais. A aplicação e a divulgação do índice visam também a atuar na promoção das boas práticas no meio empresarial brasileiro. No sítio da Bovespa, é possível entrar em contato com a concepção e composição do índice, elementos que podem servir de referência para o aprimoramento organizacional e institucional voltado à inclusão da sustentabilidade também nas práticas da administração pública.

Sítios Estrangeiros:

a) http://infohabitar.blogspot.com
O Grupo Habitar – Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional – nasceu do interesse e das preocupações de pessoas com diversas formações e práticas profissionais, ligadas às temáticas habitacionais. O grupo tem caráter multidisciplinar dirigido ao desenvolvimento de um processo de conhecimento prático e teórico, aprofundamento, discussão e divulgação da promoção residencial, em geral, e da habitação “econômica, social ou a custos controlados”, em particular. O tema principal a estudar e discutir no âmbito dos trabalhos do GH é o espaço habitacional, numa visão ampla, integrada e bem-informada, considerando-se os diversos níveis físicos habitacionais, da célula/unidade habitacional ao bairro, somado à constituição de continuidades urbanas vitalizadas e à integração paisagística e ambiental, incluindo aspectos como qualidade de desenho de arquitetura; qualidade construtiva, considerando durabilidade e equilíbrio de custos; satisfação dos moradores; e preparação dos aspectos de gestão.

b) http://www.epa.gov/oppt/epp/
O sítio da Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos –Environmental Protection Agency – contém diversos links, estudos de casos, publicações, documentos oficiais e orientações sobre licitações sustentáveis (green procurement) e compras ambientalmente recomendáveis, incluindo ferramentas e, conceitos de trabalho e diretrizes para produtos específicos.

c) http://www.euleb.info/
O projeto EULEB – European High Quality Low Energy Buildings – foi criado para proporcionar informações sobre edifícios públicos não-residenciais de alta qualidade e baixo consumo de energia existentes na Europa. O sítio contém dados, imagens, vídeos e muitas outras informações de 25 edifícios europeus em funcionamento. Além de uma apresentação geral desses edifícios, o sítio fornece em detalhes os sistemas especiais disponíveis. O consumo de energia desses edifícios baseia-se em valores monitorados. Toda a informação está disponível em cinco línguas (inglês, francês, espanhol, alemão e italiano). Os edifícios são selecionados de acordo com a posição, o tipo de construção, as características especiais aplicadas ou uma impressão visual da arquitetura. O projeto EULEB foi realizado em dois anos (2005-2006) e contou com financiamento parcial do programa "Intelligent Energy Europe", da Comissão Européia.

Abraços,

Do editor.


0 comentários:

Licitações Sustentáveis © Copyright 2010-2016. Todos os direitos reservados l Design by Leonardo Ayres l Tecnologia do Blogger